LiveZilla Live Chat Software

Esse anúncio fechará em 10 segundos

Relembrando 25 de setembro de 2012

SAIBA SOBRE A FENEARTE, ARTESÃOS, ARTESANATOS E NEGÓCIOS!

Relembrando 25 de setembro de 2012

Bairro do Recife ganha moderno centro de artesanato

Relembrando matéria no site do Governo de Pernambuco em 25 de setembro de 2012, às 20h57min

dudu1O artesanato pernambucano ganhou mais uma vitrine para divulgação dos seus trabalhos, desta vez um espaço no coração do Recife. Na tarde desta terça-feira (25/09) o governador Eduardo Campos e a primeira-dama Renata Campos inauguraram o Centro de Artesanato de Pernambuco (Cape). O espaço de 2.511 m2, considerado o maior do segmento em todo o Brasil, foi erguido no Armazém 11 ao lado do Marco Zero, no bairro do Recife Antigo.

O Cape reúne uma loja de 1.000 m2 com cerca 16 mil peças de 500 artesãos, um auditório climatizado com capacidade para acomodar 120 pessoas, uma galeria de arte para exposições temporárias e um espaço para mostra permanente de obras premiadas na Fenearte. O Centro também conta com um restaurante, Bistrô & Boteco com capacidade para receber 400 pessoas, além de um centro administrativo. O projeto arquitetônico do espaço foi desenvolvido por Carlos Augusto Lira e a fachada recebeu painéis pintados pelo grafiteiro Galo de Souza

O governador Eduardo Campos destacou que a construção do Cape estimula a economia pernambucana e valoriza o trabalho dos artesãos. “Esse espaço fortalece o turismo cultural, distribui renda e faz uma ligação direta entre o consumidor de artesanato e daqueles que fazem o artesanato”. Renomado artesão olindense, Mestre Zé Alves que tem peças expostas no espaço disse, durante a inauguração, que estava “emocionado com o presente que recebeu”. E completou, “esse Centro é mais uma porta para divulgação do nosso trabalho”, comemorou.

dudu2Também presente na solenidade, o prefeito João da Costa disse que o espaço é “âncora” fundamental ao desenvolvimento econômico e “um templo da alma do nosso povo” por reunir obras das mais variadas manifestações cultuais do estado. A inauguração do Cape também marca a conclusão da primeira etapa de revitalização do Recife Antigo. O governador Eduardo Campos explicou que o espaço se somará a outros equipamentos que vão promover o resgate do bairro do Recife Antigo.

“Nós vamos ter aqui do lado o Museu Luiz Gonzaga – do Sertão aos Cais, um terminal de passageiros. Além disso, a área ao lado do Marco Zero foi toda concedida à iniciativa privada para construção de equipamentos de turismo, restaurantes e escritórios. Vamos ter também uma marina, um hotel e um centro de convenções. Teremos um novo destino cultural”, assegurou Eduardo.

O espaço, que recebeu um investimento de R$6,5 milhões, estará aberto ao público já nesta quarta-feira (26/09). A loja do Centro de Artesanato funcionará das 10h às 23h. Já o Bistrô & Boteco inicia suas atividades a partir das 11h. O Cape é o segundo Centro de Artesanato de Pernambuco. O primeiro espaço nessa modalidade foi inaugurado há nove anos em Bezerros, município do Agreste pernambucano. O espaço, localizado às margens da BR-232, conta com um museu e uma loja com acervo de sete mil peças de diversos municípios.

Loja
O espaço do Recife conta com peças de artesãos de todas as regiões de Pernambuco. Destaque para a entrada da loja que reúne peças de renomados artesãos pernambucanos como Jota Borges, Manoel Eudócio, Nado Miro, Nado Miro, entre outros. O Centro de Artesanato foi dividido em sete setores: mestres, souvenires, artesanato contemporâneo, cestaria, têxtil, trabalhos manuais e brinquedos populares. A loja traz também ambientes decorados para que os visitantes tenham ideia de como utilizar as peças comercializadas em ambientes como sala de jantar e quarto.

A qualidade no atendimento também recebeu atenção especial. Para atender bem aos turistas das mais diversas nacionalidades, o espaço conta com oito consultores de venda bilíngües, que dominam pelo menos um desses quatro idiomas: inglês, espanhol, francês e italiano. A equipe também recebeu capacitação em cultura popular e técnicas de comercialização para atender melhor os visitantes. A loja conta ainda com quatro caixas para agilizar o atendimento.


Jurene Lins, 40, fez questão de conhecer o espaço logo no primeiro dia. A artesã não poupou elogios a iniciativa. “O artesão está sendo privilegiado em ter um lugar tão belo desse no Recife. Era uma coisa que a gente esperava muito. E agora o sonho se tornou realidade”. O espaço também foi aprovado pelo arte-educador Vicente Paulo Câmara, 51. “Não dava mais para a gente esperar um ano para ver artesanato na Fenearte. Já era hora de ter um espaço como esse”.

Comentários


Curtiu o Assunto? Visite seu patrocinador abaixo: