PESQUISAR ARTESÃO

Lula Vassoureiro Mestre


Descrição

A confecção da primeira máscara se deu no ano de 1950 e para uso próprio. Aos seis anos de idade, o menino Amaro Arnaldo do Nascimento resolveu sair às ruas no Carnaval de Bezerros, município do Agreste Central onde nasceu, incorporando o Amigo da Onça - personagem criado pelo cartunista pernambucano Péricles de Andrade Maranhão (1924 -1961), publicado pela primeira vez em charge na revista O Cruzeiro (1943). Passadas mais de seis décadas desde então, Amaro, que ganhou Lula como apelido dado pela avó, Marcolina do Nascimento, em homenagem a Luiz Gonzaga, estima que já tenha produzido algo em torno de dez milhões de máscaras - número que surpreende, mas que pode ser justificado pela rotina de trabalho mantida até hoje pelo mestre artesão, Patrimônio Vivo de Pernambuco (2014). Lula Vassoureiro nasceu no dia 02 de novembro de 1944, na Rua das Vassourinhas, onde o pai, José Arnaldo do Nascimento, o Zé Vassoureiro (1925-1978), deu continuidade ao ofício aprendido com o pai, Antônio Francisco do Nascimento, o Antônio Vassoureiro (1847-1944), conhecido artesão de cestos e vassouras em palha de coco da cidade. Do pai, Lula herdou o talento na confecção de máscaras e o amor pelo Carnaval. Zé Vassoureiro foi importante nome da folia da cidade, fundador de diversos blocos e troças, entre eles, o Bacalhau na Vara do Zé Vassoureiro (1956), que até hoje fecha, na Quarta-feira de Cinzas, a festa de rua, tendo a frente Lula Vassoureiro. Ele é o mais antigo e um dos mais expressivos artesãos da tradição cultural dos papangus, que teve Bezerros como berço e que desde 2009 é Patrimônio Imaterial do povo pernambucano. Aprendeu a fazer máscaras vendo o pai trabalhar, mas não encontrou nele apoio necessário. “Eu tinha o dom dado por Deus, mas o meu pai não queria que eu seguisse nessa vida. Ficou muito bravo quando mostrei minhas primeiras máscaras”, recorda Lula Vassoureiro, que acabou fugindo de casa ainda menino, só voltando à cidade natal aos 13 anos de idade. Neste período de sua vida, Lula, que fingiu ser órfão para seguir viagem com um circo que apareceu em Bezerros, aprendeu atuou como palhaço de rua, baterista e mágico circense. Com a volta ao lar, Lula retomou sua produção, agora sem a resistência paterna. “Muitas vezes terminava as máscaras que ele começava e tempos depois, meu pai mandava que os clientes viessem falar comigo diretamente.Dizia assim: trate com o doutor ali”. Com a morte do pai, no ano de 1978, mestre Lula assume a tradição da família, preservando a técnica artesanal na feitura das máscaras, que já entraram para o Livro dos Recordes (1997, a maior máscara do mundo, com 5,5 metros de altura). O processo usa receita simples, não sendo necessário nada mais do que água, jornais velhos, grude de goma, cola branca e tinta sintética. Em matrizes feitas em gesso, as camadas de tiras de jornal umedecidas com grude são sucessivamente sobrepostas, colocadas para secar e depois pintadas de branco para uniformização. A partir desta etapa, ganham cores e vida com a intervenção direta do artista. Lula Vassoureiro não frequentou escola - apesar dos frequentes pedidos feitos ao pai. Não sabe ler ou escrever, mas na Casa de Cultura Popular, que fundou em 1985, é professor dedicado, transmitindo para crianças e adolescentes a arte dos brincantes. Recebe anualmente cerca de dez mil pessoas e tem grande apreço na atividade que executa. “Eu tenho vocação para ensinar e nada mais importante do que repassar esse conhecimento para as novas gerações. Minhas máscaras são pura alegria”, defende o mestre. Casado, pai de três filhos, Lula Vassoureiro já ajudou a formar centenas de artesãos hoje em atividade na cidade de Bezerros. Suas máscaras fazem parte da decoração carnavalesca de rua do município, que em 2014 prestou merecida homenagem. Já rodou o mundo - América do Norte, Europa, Ásia e África - divulgando a tradição dos papangus e mantém planos para continuar recebendo em sua Casa da Cultura todos aqueles que desejam aprender. “Aqui as portas sempre estarão abertas”, avisa.

Endereço:
Rua Otávia Bezerra, 64
Bezerros, Santo Amaro, Pernambuco,
fone:
ver fone(81) 99102.0665

Adicione mais informações à página.

Documento Comprobatório

Confirme que anexou documento comprobatório autêntico: SIM