PESQUISAR ARTESÃO

Luiz Antônio Mestre


Descrição

Em 1948, Luiz Antônio da Silva tinha apenas 13 anos de idade quando o já reconhecido Mestre Vitalino chegou para morar no Alto do Moura, levando para lá a força da arte figurativa. A localidade - que se tornaria bairro de Caruaru nos anos de 1980 - já tinha tradição na cerâmica utilitária - meio de vida dos oleiros Antônio José da Silva e Maria Tereza da Conceição, pais de Luiz Antônio, com os quais aprendeu a lidar com o barro. Ter sido contemporâneo de Vitalino, além de orgulho pelos anos de convivência, foi fundamental para a definição de sua linha criativa e amadurecimento técnico. “Ele sempre lutou pelos artesãos para que todos vivessem de sua arte. Tenho muito orgulho de ser seu discípulo”, afirma o mestre Luiz Antônio, o mais antigo artesão em atividade de Caruaru. Antônio José e Maria Tereza foram um dos primeiros moradores do Alto do Moura - quando se mudaram para lá existiam menos de dez casas - e lá tiveram e criaram os cinco filhos. Desde muito cedo, o menino Luiz Antônio, que nasceu no dia primeiro de junho de 1935, aprendeu a lidar com a dura rotina de quem sobrevivia do barro. Aos cinco anos de idade já dividia espaço em um caçuá com as panelas e jarros feitos pelos pais e que seguiam, ainda de madrugada, no lombo de jumento, para a feira de Caruaru. Começou a fazer peças aos dez anos, mas aos 18 anos, devido à realidade da vida, seguiu para São Paulo, onde por cinco anos trabalhou em um restaurante. Retornou ao Alto do Moura em 1958, atendendo a um pedido da mãe, e a partir daí sua história com o massapê se tornou definitiva. Luiz Antônio começou a representar no barro figuras do seu cotidiano, como o homem do campo, o matuto e animais da região, sob forte inspiração da arte de Vitalino que revolucionou os processos no Alto do Moura. Hoje, aos 82 anos, preserva na memória momentos significativos que marcaram sua relação com o mestre, como o encorajamento dado sob a forma de conselho para que colocasse suas peças em um caixote e fosse vender. Grande observador, mestre Luiz Antônio definiu estilo próprio ao transpor para a cerâmica a temática das profissões em criações inspiradas em situações presenciadas por ele. O eletricista em cima do poste surgiu na época da eletrificação do Alto do Moura; a banda de pífanos quando viu pela primeira vez uma apresentação, em 1977, no centro de Caruaru; o fotógrafo e o cinegrafista, uma ideia nascida na época das gravações do curta-metragem Adão foi feito de barro (1982), com direção de Fernando Spencer e produção de Vital Santos, que retratou a vida dos ceramistas do Alto do Moura, entre eles, Luiz Antônio; a peça do parto cesáreo registra o nascimento de um filho, um dos poucos que não nasceram em casa, entre tantas histórias e personagens. Também ficou famoso pela habilidade de representar máquinas e equipamentos, como a maria fumaça (trem a vapor), automóveis e motocicletas. Esse talento conferiu a ele o primeiro lugar no concurso realizado pela Prefeitura de Caruaru, que marcou os 114 anos da cidade. A disputa reuniu nomes de peso, como Zé Caboclo, Manoel Eudócio, Zé Rodrigues, Severino Vitalino e foi vencida pela peça Máquina de fazer telha canal, de Luiz Antônio. Apesar do trabalho admirado por colecionadores e galerias, o artesão viajou pouco, só deixando o Alto do Moura para participar de eventos na Bahia e no Japão, quando representou o Brasil na feira internacional de turismo que reuniu artistas de 36 países (1986). Casado há 55 anos com a artesã Odete do Nascimento, pai dez filhos - quase todos dando continuidade à tradição -, 23 netos e três bisnetos, preocupa-se em reunir, ainda em vida, a história que moldou barro. Todo o seu acervo vem sendo organizado em um memorial que funcionará nos fundos do seu ateliê. “O barro é uma massa que tem uma potência enorme. As mãos que mexem com ele sabem exatamente o seu valor. Com o memorial quero deixar registrado o que fui, o que sou e o que vou deixar. Mostrar o meu orgulho de ter me feito homem e criado uma família graças ao barro”, revela Luiz Antônio.

Endereço:
Rua Mestre Vitalício, 285
Alto do Moura, Caruaru, Pernambuco,
fone:
ver fone(81) 3722.0417 - 99123.0466

Documento Comprobatório

Confirme que anexou documento comprobatório autêntico: SIM